Otoplastia

Saiba mais sobre a cirurgia que corrige “orelhas de abano”

O que é otoplastia?

Algumas pessoas já sofreram bullying ou receberam apelidos por terem “orelhas de abano”, isso causa um constrangimento muito grande, principalmente por parte dos adolescentes.

Normalmente, essa deformidade se apresenta de várias maneiras, com graus mais ou menos intensos, no entanto, o que define uma orelha de abano é que ela foge da normalidade, tendo uma curvatura diferente das orelhas comuns.

Para resolver este problema é indicado fazer uma otoplastia, a cirurgia corrige a imperfeição das orelhas, valoriza a aparência e auxilia na recuperação da autoestima.

O procedimento é capaz de fazer a criação de uma forma natural, dando equilíbrio e proporção às orelhas e à face, porém a indicação cirúrgica da otoplastia é baseada no grau de incômodo que o paciente apresenta.

Quando fazer?

A idade mínima indicada para realizar a otoplastia é entre seis e sete anos de idade, nesta idade a orelha está crescendo e criando seu formato e tamanho. Apesar de a maioria das pessoas passarem pelo procedimento quando adulta, algumas pessoas preferem que seus filhos tenham as orelhas corrigidas quando crianças.

A correção precoce evita as consequências das piadas e brincadeiras tão comuns nas escolas. Em adultos, a otoplastia pode ocorrer em qualquer idade.

A cirurgia corrige as assimetrias de forma, como o tamanho e angulação no caso do abano, em orelhas mal formadas de nascença ou que sofreram deformidades após um traumatismo.

A otoplastia é indicada para fazer reparações, minimizando as deformidades e assim dar harmonia na estética do rosto, dando equilíbrio na forma, volume e posição.

Há riscos?

Não. A alteração na forma da orelha não traz alterações significativas na capacidade auditiva. Somente um erro técnico grosseiro pode levar à obstrução do conduto auditivo.

Como é feita?

Para realizar o procedimento é aplicada uma anestesia local com sedação. A otoplastia é feita com uma incisão atrás da orelha, seguindo a dobra natural da pele.

É, então, realizada a retirada do excesso de pele e em seguida é feito o ligamento da cartilagem, para deixá-la mais flexível. Em alguns casos pode ser feita a retirada de cartilagem para diminuição da orelha.

Em seguida, são feitos pontos de fixação para manter uma nova anatomia da orelha e realizando o fechamento da pele. Em geral, os pontos são internos e absorvíveis, não precisam, portanto, ser retirados. A cirurgia tem duração média de uma hora.

Pós-operatório

O paciente sai com curativo nas orelhas que é retirado no dia seguinte pelo médico. Dependendo do tipo de abano, pode ser necessário manter, durante o dia, uma faixa compressiva sobre as orelhas por duas a quatro semanas. Não é necessária a retirada de pontos, já que na maioria das vezes, são utilizados fios absorvíveis.

A faixa deverá ser utilizada e ser retirada apenas para o banho, o paciente deverá deixar a região da cicatriz limpa e seca, lavando com cuidado no banho e secando cuidadosamente.

Sempre são prescritos analgésicos, mas geralmente não há dor, há apenas uma sensação de incômodo.

Se apresentar alguma dor forte, o médico deverá ser avisado para que examine e oriente.

O retorno às atividades escolares ou profissionais é possível após dois ou três dias, porém, nas primeiras duas ou três semanas devido ao inchaço poderá aparecer arroxeamento do local.

É recomendado que evite o sol direto nas orelhas por duas a quatro semanas e atividades físicas que impliquem em riscos de trauma nas orelhas devem ser evitadas por 30 dias.

Cicatrizes

Nas cirurgias de correção de abano, as cicatrizes ficam escondidas na parte posterior da orelha, na junção da orelha ao crânio.

Agende sua Consulta

loading...

Dr. Ícaro Samuel

Palmas-TO

Quadra 404 Sul, Alameda 02, QC1, Lote 07,
Clínica Boutique MedSpa, Plano Diretor Sul
(63) 3216-4091

Araguaína-TO

Av. José de Brito Soares, Nº 877
Setor Anhanguera, Galeria WA, Sala 3 e 4
(63) 3414-4370

Atendemos também em:

Redenção - PA
Porto Nacional - TO

Redes Sociais

Siga o DR. Ícaro Samuel nas redes sociais